SERRA CATARINENSE: SERRA DO RIO DO RASTRO

Serra do Rio do Rastro, em Bom Jardim da Serra.
Já na pequena Bom Jardim todo mundo só fala da Serra do Rio do Rastro, ou melhor, da estrada que corta a tal serra. Estradas, como se sabe, servem apenas para ligar lugares. Mas não nesse caso, pois essa via em especial parece ter sido concebida apenas para o deleite de uma travessia esplen-dorosa. Ela é a atração em si. Oficialmente chamada de SC-438, tem o asfalto que começa em Tubarão, no litoral, e segue até Lages, no planalto catarinense. Mas a fama toda recai nos l O km entre Bom Jardim e Lauro Müller, que talvez seja o trecho de rodovia mais cênico do Brasil.

Do mirante, logo no começo da descida, tem-se a vista panorâmica do zigue-zague da estradinha cortando o paredão de um cânion de l .460 metros de altura. Em dias de céu limpo dá para ver o mar a cem quilômetros de distância. Para quem gosta de dirigir, percorrer esse trajeto de carro é um grande prazer. Algumas curvas, porém, são tão fechadas que os caminhões precisam parar e manobrar. Há diversos pontos para encostar o carro ao longo da descida. Em 2002, a pista ganhou um projeto de iluminação, com cabos subterrâneos e energia proveniente de unia usina eólica experimental instalada no alto da serra, para garantir segurança nas travessias durante cerrações — o que, de quebra, a tornou ainda mais fotogênica e impressionante.

Na volta do passeio à Serra do Rio do Rastro, a parada para almoço só pode ser no restaurante Cascata, o melhor de Bom Jardim, que fica ao lado de uma bela cachoeira, uma das 35 que existem nas proximidades da cidade e que lhe justificam o apelido de "capital das águas".

Quem tiver mais tempo pode reservar ao menos uma manhã para conhecer alguns dos cânions que desabam nas encostas daquele trecho da Serra Geral, a mesma que, mais ao sul, irá formar os cânions de Aparados da Serra, no Rio Grande do Sul. Há vários deles por perto, como o Laranjeiras, do Funil e da Ronda. Mas não há placas indicativas e até os próprios moradores não sabem dar informação. Será preciso contratar um guia no quiosque da secretaria de turismo se quiser chegar a eles.

O mais famoso é o cânion das Laranjeiras, a 12 km do centro de Bom Jardim, dentro de uma propriedade particular, a Fazenda Santa Cândida, o fim da linha para os carros e início de uma trilha de meia hora até a borda do precipício.

Pena que não há muito o que ver na cidade, além das típicas lojinhas de produtos coloniais que vendem queijos, doces, maçãs e salames de até um metro de comprimento. Os produtos são fabricados nas antigas fazendas da região, algumas delas centenárias, surgidas na época dos tropeiros que desde o século 19 passavam por ali levando gado e mercadorias do planalto para o litoral. Foram eles, aliás, que abriram a antiga picada desde Bom Jardim a Lauro Müller, que décadas mais tarde daria origem à sinuosa estrada da Serra do Rio do Rastro.

Na perigosa descida pelas encostas, aqueles bravos viajantes do passado deixavam os animais ir à frente para depois seguir o rastro dos bichos, daí o nome do rio e do caminho que hoje deixa os viajantes do presente encantados com a beleza da magnífica Serra Catarinense. 

A partir da revista Viaje Mais (Ed. 96 - Maio/2009)

Serra Catarinense : Urubici
Serra Catarinense : Serra do Corvo

Share on Google Plus

About Editor

This is a short description in the author block about the author. You edit it by entering text in the "Biographical Info" field in the user admin panel.

0 comentários :

Postar um comentário

Deixe aqui seu recado ou depoimento, de forma anônima se preferir. Respeitamos a sua opinião, por isto recusaremos apenas as mensagens ofensivas e eventuais propagandas. Volte sempre!