SERRA CATARINENSE: PAISAGENS FANTÁSTICAS

O frio chega primeiro às cidades serranas se Santa Catarina, onde a neve é um charme local e o grande barato é curtir belas paisagens e os prazeres do inverno

O frio geralmente é intenso na região
Acontece todo inverno. Basta a previsão do tempo nos telejor-nais apontar a possibilidade de cair neve nas cidades da Serra Catarinense que os telefones não param de tocar nas pousadas e os carros a chegar em Urubici, São Joaquim e Bom Jardim da Serra. Essas três cidades plantadas no alto das montanhas do Sul do Brasil ostentam o inverno mais frio do País, com temperaturas que podem cair facilmente a alguns graus abaixo de zero. A neve é um fenômeno típico da estação e os visitantes sempre chegam ansiosos em ver os floqui-nhos brancos caindo dos céus.

Os moradores de Urubici gostam de alimentar essa esperança nos turistas dizendo que antigamente, nas décadas de 1950 e 60, a neve às vezes era tanta que chegava a causar problemas, bloqueando estradas e cobrindo as pastagens do gado.

Atualmente, porém, isso virou história, no mínimo, um charme local cada vez mais raro. No ano passado foram duas ocorrências fracas em pontos inabitados nos campos de cima da serra. A última nevasca mesmo aconteceu em 2002. Por isso, a estatística não é favorável para quem pensa em ir às cidades da Serra Catarinense na única intenção de topar com uma paisagem digna dos Alpes suíços.

O que também não é motivo para se ir embora frustrado. Afinal, ali está uma região que, com ou sem neve, reserva belezas que não existem em nenhum outro canto do Brasil, desenhadas numa geografia de cânions vertiginosos, recoberta por florestas de araucárias, adornada com cachoeiras monumentais, em boa parte abrigadas nos limites do Parque Nacional de São Joaquim. É um lugar para curtir os prazeres do frio, que não são poucos, bem acomodado numa simpática pousadinha de montanha, de preferência aquecida por sistema de calefação. Como também para conhecer um Brasil diferente, onde vive uma gente loi-rinha e hospitaleira, que preserva no dia-a-dia a cultura gauchesca, traduzida no gosto pelo chimarrão e pelo amor à lida campeira. Para aproveitar bem a viagem é importante estar de carro para fazer os passeios e poder pular de urna cidade para outra. Em uma semana dá para visitar os principais pontos e fazer caminhadas pela serra.

Se serve de consolo, as geadas são garantidas, quando o frio congela a camada superficial da água dos riachos e as plantações amanhecem cobertas por uma fina película branca. Nas estradas que permeiam a serra, placas alertam os motoristas a todo instante: "Cuidado: gelo na pista".

A partir da revista Viaje Mais (Ed. 96 - Maio/2009)

Serra Catarinense : Urubici
Serra Catarinense : Serra do Corvo
Share on Google Plus

About Editor

This is a short description in the author block about the author. You edit it by entering text in the "Biographical Info" field in the user admin panel.

0 comentários :

Postar um comentário

Deixe aqui seu recado ou depoimento, de forma anônima se preferir. Respeitamos a sua opinião, por isto recusaremos apenas as mensagens ofensivas e eventuais propagandas. Volte sempre!